sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Tendência de design: Print Van Paris


Já ouvi muita gente dizer (eu mesma já proferi esta frase por aí muitas vezes) que Paris é o berço da elegância mas não se sai tão bem no quesito inovação. A impressão que tenho, na verdade, é que o parisiense não tem interesse em mexer num time que está ganhando, ao contrário de Londres que está sempre disposta a mexer em tudo, o tempo todo. Ainda assim, é preciso admitir que muitas boas idéias saem da terra das baguettes e é hora de olhar para a capital francesa com os olhos mais abertos.




Outro grande mito sobre os parisienses diz respeito a famosa parcimônia francesa no consumo. Talvez estes apetites comedidos para as compras tenham sido a necessidade por trás de uma das idéias mais legais deste ano, a Print Van Paris. Trata-se de um escritório ambulante de design, que transforma suas velhas camisetas, bolsas e casacos em uma versão nova e exclusiva. O processo funciona da seguinte maneira: um grupo de designers cria estampas para serem aplicadas nas peças trazidas pelos clientes, que fazem fila às margens do Rio Sena com seus modelos em mãos. Toda semana, o time de artistas é trocado e novos desenhos são postos em exposição. Desta forma, o consumidor é sempre atraído de volta com a promessa de novidades.



Quem não está na Cidade Luz mas quer participar desta experiência pode fazer seu pedido on-line e a equipe tratará de criar seu modelo usando peças de roupas novas, que não é tão legal mas quebra o galho até a sua próxima viagem.



quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Alerta de tendência: Bolsas saco


Elas já foram febre nos anos 80, persistiram durante a década de 90, desapareceram em 2000 e vêm ameaçando um retorno já há alguns anos, embora ainda não tenham tomado o mercado de assalto. Agora, porém, parece que as bolsas saco aparecem com o intuito de se reclamar seu lugar como objeto de desejo número 1 entre as mulheres.




Além da Louis Vuitton, que nunca tirou o modelo de linha mas conseguiu reinventá-lo com uma roupagem mais moderna, marcas mais acessíveis como a Elisabeth and James (irmã mais nova da The Row), a DKNY (caçula da Donna Karan) e a Kate Spade também trouxeram as suas propostas nesta temporada. O modelo aparece num momento de predominância das bolsas pequenas e estruturadas que, apesar de lindas e elegantes, nos desafiam a praticar uma verdadeira gincana por espaço no dia-a-dia. As boas e velhas "saquinhos", ao contrário, atendem às nossas necessidades por um poço sem fundo, daquele estilo onde podemos demorar vinte minutos para encontrar as chaves de casa. Que saudades!