sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Alerta de tendência: Azul e verde


Quem gosta de acompanhar o streetstyle e as tendências internacionais já deve ter reparado no novo hype que surge no ar. Além do verde esmeralda e do amarelo que falamos aqui e aqui, uma bela combinação de cores promete dar pinta neste verão. Trata-se do casamento entre o verde e o azul, em todas as suas matizes.



Um dado curioso: você sabia que na língua japonesa não existem palavras diferentes para estas duas cores? Os japoneses consideram o verde como uma variação do azul, da mesma forma que enxergamos as diversas variações do vermelho, por exemplo. Esta é a prova de que os dois tons nasceram para andar de mãos dadas. Algumas formas interessantes de usar esta combinação são o verde militar com azul marinho e o verde esmeralda com o azul turquesa. O blog, como sempre, foi em busca de imagens para te inspirar. Afinal, nem é preciso ir as compras; aposto que você já tem estas peças no armário, doidas para serem repaginadas!




quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A alma das cores


O fotógrafo alemão Christian Stoll se apaixonou pela alma das cores quando conheceu o livro "Wie Farken Wirken", da autora Eva Heller, que discute os efeitos psicológicos e o simbolismo das cores para a humanidade. Apaixonado e intrigado por este conceito, ele resolveu criar sua própria interpretação da capacidade das cores de alterar nosso humor e, como resultado final, descobrir quais os efeitos de cada combinação de nuances, bem como sua interpretação de determinadas emoções.





O resultado desta experiência é uma série de dez cubos de madeira pintados com matizes escolhidas cautelosamente pelo artista, a fim de exprimir determinado sentimento. Na verdade, a tradução dos sentimentos através da escolha das cores faz parte do trabalho de todos os artistas plásticos. A diferença da obra de Stoll está na crueza de formas e austeridade de distrações. Tendo como base apenas um cubo, somos obrigados a diferenciar um do outro apenas pelo contraste dos tons. Vale lembrar que o trabalho é pessoal e arbitrário e, embora inspirado pela ciência, possui apenas seu valor experimental e artístico, o que já é bom o suficiente. É interessante também observar os padrões culturais que emergem das escolhas de Christian. Reparem, por exemplo, que o artista escolheu representar o conceito de força com as cores de sua bandeira. O que as cores da bandeira do Brasil te dizem sobre o nosso país?